23.8 C
fpolis
segunda-feira, outubro 25, 2021
cinesytem

Hospital Regional de São José adota novo sistema de atendimento na emergência

spot_img

Hospital Regional de São José adota novo sistema de atendimento na emergência

spot_img

Mais informação e mais organização no atendimento de emergência. Com estes objetivos, o Hospital Regional de São José, na Grande Florianópolis, passou a adotar desde a última quinta-feira, 23, pulseiras coloridas que diferenciam os pacientes conforme a gravidade e o grau de risco. Além disso, foram instalados banners e monitores para os pacientes da emergência consultarem o tempo de espera para o atendimento.

As quatro emergências do hospital (geral, pediátrica, oftalmológica e maternidade) ganharam banners e monitores que indicam o nome do paciente e o estágio do atendimento: os que estão aguardando classificação, pacientes que já receberam a pulseira e os que estão em atendimento.

As cinco cores utilizadas no Protocolo de Acolhimento e Classificação de Risco estão discriminadas no banner. O vermelho e o laranja indicam os casos de urgência e emergência, o amarelo é de gravidade intermediária, enquanto o verde e o azul são usados para os casos de menor gravidade.

Cirurgias

Mais mudanças no atendimento aos pacientes estão sendo preparadas. Ainda no mês de agosto,o Núcleo Interno de Regulação (NIR) do hospital será responsável por fazer o mapa cirúrgico da unidade. “O Hospital Regional é referência para média e alta complexidade, e recebe, em média, 16 mil pacientes por mês na emergência. As salas de cirurgia devem estar organizadas em função desses atendimentos”, ressaltou a gerente administrativa da unidade, Cecília Gesser. Hoje, o agendamento de cirurgias é feito pela secretaria do centro cirúrgico sob orientação direta dos médicos.

Com a mudança, quem fará o agendamento é a equipe do NIR, composta por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e técnicos administrativos. A ordem de marcação seguirá alguns critérios. Serão atendidos primeiro os casos de urgência e emergência, depois as demandas judiciais, os pacientes internados e por fim, os eletivos.

A nova estruturação do NIR coincidirá com a abertura de mais uma sala de cirurgia, totalizando seis a partir do próximo mês. Na opinião da enfermeira Adriana de Alcântara Sabino, essa novidade irá melhorar o fluxo interno de marcações. “Certamente, quem mais se beneficiará com isso é o paciente, em função da rotatividade e otimização do uso dos leitos”, destacou.

spot_img
spot_img