19.4 C
fpolis
sábado, outubro 16, 2021
cinesytem

Projeto que transforma SDRs em Agências de Desenvolvimento já está na Assembleia

spot_img

Projeto que transforma SDRs em Agências de Desenvolvimento já está na Assembleia

spot_img

A transformação das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Regional (SDRs) em Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs), considerado o segundo passo da reforma administrativa planejada pelo Governo do Estado após a fusão das agências reguladoras (Agesc e Agesan), deu entrada dia 14 na Assembleia Legislativa. As informações são da Agência de Notícias da AL.

O Projeto de Lei 260/2015, que trata da medida, já foi encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde teve a relatoria avocada pelo seu presidente, o deputado Mauro de Nadal (PMDB). O parlamentar afirmou que pretende averiguar a constitucionalidade das medidas propostas e conhecer o posicionamento do próprio partido antes de emitir um parecer definitivo.

A matéria, que tramita em regime ordinário, também está na pauta das comissões de Finanças e Tributação e de Trabalho, Administração e Serviço Público.

Controle de gastos

Criadas em 2003, pelo então governador Luiz Henrique da Silveira, com o objetivo de descentralizar a estrutura do Executivo estadual, as SDRs voltam ao centro dos debates com o início da tramitação do PL 260/2015.

De acordo com a exposição de motivos que acompanha o projeto, assinada pelos secretários de Estado da Casa Civil, Nelson Serpa, da Fazenda, Antonio Gavazzoni e do Planejamento, Murilo Flores, a ideia de transformar as SDRs em agências não é nova.

Com a iniciativa, prossegue o texto, o governo pretende controlar os gastos e conferir mais eficiência à gestão pública.

Em cada ADR, será criado um Colegiado Regional de Governo, comandado pelo secretário executivo, com a participação dos gerentes das áreas finalísticas das agências e dos chefes regionais dos órgãos da administração direta e indireta, tais como Casan, Celesc, Fatma, Epagri, Cidasc, Fazenda, delegados, comandantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros e coordenadores da Defesa Civil.

O Conselho de Desenvolvimento Regional, integrado pelo secretário executivo e por representantes dos municípios, também deve ter suas atribuições redefinidas pelo projeto.

SDR da Grande Florianópolis

Caso o PL 260/2015 seja aprovado em seu teor original, será extinta a SDR da Grande Florianópolis. As atuais gerências de Educação e Infraestrutura da regional serão transferidas para os órgãos de origem (Secretaria da Educação e Deinfra) e passarão a se chamar Coordenadorias Regionais da Grande Florianópolis. Os servidores efetivos atualmente lotados na SDR serão redistribuídos nas secretarias setoriais. As atribuições necessárias serão posteriormente absorvidas pela Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf).

Diminuição de cargos

Com as medidas, serão reduzidos 106 cargos de provimento em comissão (19 na secretaria extinta, 35 cargos de diretores-gerais e 52 de gerentes das SDRs), além da extinção de 136 funções gratificadas de integrador nas regionais, cargos não preenchidos desde o início do ano.

spot_img
spot_img