22 C
fpolis
sábado, outubro 16, 2021
cinesytem

Santa Catarina fecha parceria com estados vizinhos para fortalecer a cadeia produtiva do leite

spot_img

Santa Catarina fecha parceria com estados vizinhos para fortalecer a cadeia produtiva do leite

spot_img

Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul oficializaram a criação da Aliança Láctea Sul Brasileira e pretendem liderar a produção de leite no Brasil a partir de 2015. Para selar essa união em prol da cadeia produtiva do leite, os representante dos governos catarinense, gaúcho e paranaense assinaram nesta terça-feira, 2, um protocolo de intenções. O ato aconteceu em Esteio (RS), durante a Expointer, e teve a presença do governador em exercício de Santa Catarina, Nelson Schaefer Martins. As informações são da Assessoria de Imprensa do Governo do Estado. 

Os três estados concentrarão 35% da produção do setor, 2% além da atual produtividade, que está em 10,8 milhões de toneladas de leite por ano. Os governos de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul anunciaram ainda a ampliação do corredor de passagem da BR-101, que agora permite a entrada de produtos de origem animal provenientes do estado gaúcho com destino ao restante do país.

Com a Aliança Láctea Sul Brasileira, os três estados querem fazer do leite mais uma estrela do agronegócio da região. O Oeste de Santa Catarina, noroeste do Rio Grande do Sul e sudoeste do Paraná são hoje a região que mais cresce em produtividade do leite no Brasil. Com cerca de 300 mil produtores distribuídos por quase todos os municípios, o Sul é responsável por 33% da produção brasileira de leite. A expectativa é de que em 10 anos, a produção aumente 77%, chegando a 19,5 milhões de toneladas de leite por ano.

Corredor de Passagem

O governador em exercício de Santa Catarina, Nelson Schaefer Martins, e o secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do Rio Grande do Sul, Claudio Fioreze, também anunciaram a ampliação do corredor de passagem da BR-101. A partir de agora, será permitida a passagem de produtos de origem animal que pela legislação sanitária já podem ingressar em Santa Catarina. Desde abril, os produtos lácteos com origem no Rio Grande do Sul com destino a outros estados já estavam autorizados a passar pelos postos de divisa de Torres e Garuva.

A fiscalização agropecuária será realizada a partir dos por funcionários da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) e não será permitida a passagem de animais vivos e miúdos de bovinos. Atualmente, 95% das cargas de produtos de origem animal que saem do Rio Grande do Sul são de leite UHT. O acordo entre os governos gaúcho e catarinense visa melhorar a logística da produção agropecuária do Rio Grande do Sul e a distribuição de cargas nas rodovias, atualmente concentradas na BR-116 e BR-153. A medida é válida também para cargas com origem em outros estados e com destino ao Rio Grande do Sul.

Hoje Santa Catarina possui seis corredores sanitários por onde é permitida a passagem de animais e produtos de origem animal com o uso de lacres aplicados pela Cidasc nas fronteiras. O Estado conta com 63 barreiras sanitárias com o Paraná, Rio Grande do Sul e Argentina que controlam a entrada e a saída de produtos agropecuários. A fiscalização nas fronteiras tem por finalidade proteger o rebanho catarinense de doenças como a febre aftosa, da qual Santa Catarina é área livre sem vacinação certificada pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).
 

spot_img
spot_img