17.3 C
fpolis
domingo, outubro 17, 2021
cinesytem

Segunda dose da vacina contra HPV está disponível nos postos de saúde de Florianópolis

spot_img

Segunda dose da vacina contra HPV está disponível nos postos de saúde de Florianópolis

spot_img

Meninas de 11 a 13 anos já podem voltar aos Centros de Saúde (CS) de Florianópolis para tomar a segunda dose da vacina contra o vírus HPV (papiloma vírus humano). A primeira aplicação foi em março deste ano e imunizou cerca de 140 mil adolescentes no município, o que representa 95% do público alvo atingido. Para receber a vacina, é necessário apresentar a carteira de vacinação e um documento de identificação. A vacina é gratuita está sendo oferecida em todas as escolas públicas e privadas, além de todos os Centros de Saúde da capital, pela manhã entre as 8h e 12h e à tarde das 13h as 17h, de segunda `a sexta-feira. As informações são da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Florianópolis. 

Segundo a gerente da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Ana Cristina Vidor, todas as jovens que tomaram a primeira dose em março devem também se proteger com está segunda aplicação. “É necessário que todos os esforços sejam empreendidos uma vez que a segunda dose da vacina é fundamental para garantir a proteção da adolescente até o recebimento da terceira dose, daqui a cinco anos”, diz. 

No próximo ano a vacina será oferecida também para meninas de nove anos. A imunização foi incluída pelo Ministério da Saúde no Calendário Nacional de Vacinação para prevenir o câncer de colo de útero que mata por ano 275 mil mulheres em todo o mundo e é a terceira causa de morte de mulheres no país.

HPV

Vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto. Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 32% infectadas pelos tipos 16 e 18. Em relação ao câncer de colo do útero neste ano, o Instituto Nacional do Câncer estima o surgimento de 15 mil novos casos.

Fonte: Ministério da Saúde (MS)
 

spot_img
spot_img