19.2 C
fpolis
terça-feira, setembro 28, 2021
cinesytem

Apenas 66% das meninas de 11 a 13 anos receberam a segunda dose da vacina contra o HPV em SC

spot_img

Apenas 66% das meninas de 11 a 13 anos receberam a segunda dose da vacina contra o HPV em SC

spot_img

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), subordinada à Superintendência de Vigilância em Saúde de Santa Catarina, divulgou nesta sexta-feira, 12, uma nota alertando para a importância da segunda dose da vacina contra o HPV. A cobertura vacinal da primeira dose foi de 99,95% da população-alvo (meninas entre 11 e 13 anos). Mas apenas 66% dessas meninas tomaram a segunda dose, que deve ser ministrada seis meses após a primeira. As informações são da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado. 

A vacina previne contra o HPV (papilomavírus humano), que pode causar câncer do colo do útero, e está disponível nos postos de saúde de todo o Estado. “Ao receber a segunda dose, a menina terá imunidade contra os quatro principais tipos de vírus do HPV causadores do câncer de colo do útero. Cinco anos após a primeira dose, deve ser tomada a terceira, que irá reforçar a vacina.”, explica a gerente de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e Imunização da DIVE, Vanessa Vieira da Silva.

Para receber a vacina basta apresentar a carteira de vacinação ou documento de identificação. As meninas que receberam a primeira dose aos 13 anos de idade e que já completaram 14 anos podem receber a segunda dose. E aquelas que completarem 11 anos devem receber a primeira dose da vacina.
Câncer de colo do útero

O HPV é um vírus que apresenta mais de 150 tipos diferentes. A vacina distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é do tipo quadrivalente, que protege contra quatro tipos do HPV (6, 11, 16 e 18). Os vírus HPV 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero.

No Brasil, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o vírus que provoca o câncer do colo do útero é o terceiro tipo mais frequente entre as mulheres. De 2009 a 2013, foram registradas 402 mortes em razão deste câncer no Estado. A previsão de incidência da doença para 2014 no Brasil é de 15 mil novos casos, dos quais 480 só em SC. Apesar da alta incidência, o câncer de colo do útero pode ser prevenido com a vacinação, o uso do preservativo e a realização do exame preventivo (Papanicolau). Ministério da Saúde (MS) recomenda que o exame Papanicolau seja realizado regularmente a partir dos 25 anos de idade.

spot_img
spot_img

Leia mais