12.4 C
fpolis
sexta-feira, maio 20, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Seminário discute Turismo Acessível em Florianópolis

spot_img

Seminário discute Turismo Acessível em Florianópolis

spot_imgspot_img

Acontecerá nos dias 13 e 14 de setembro próximo o “I Seminário Catarinense de Turismo Acessível”. O evento acontecerá no Centro de Eventos da Faculdades ASSESC, localizado no bairro Itacorubi, em Florianópolis.

Com o turismo crescente no Estado e a implantação de novos empreendimentos no setor, é indispensável também voltar às atenções para a acessibilidade de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. O evento pretende reunir profissionais da iniciativa privada, comunidades acadêmicas e representantes de órgãos governamentais.

Entre os assuntos a serem abordados estão legislação e normas de acessibilidade, atendimento a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida e empreendimentos acessíveis.
O endereço, a programação completa e o regulamento para inscrições estão disponíveis no site www.turismoacessivelsc.com.br.

Numa rápida análise os especialistas levantaram vários locais em Florianópolis que apresentam problemas de acessibilidade.

Como maus exemplos eles citam as calçadas e passeios, com raras exceções, que dificultam a locomoção de usuários de cadeiras de rodas, pessoas com carrinhos de bebês e todos que possuem alguma deficiência ou mobilidade reduzida permanente ou temporária.

Outro exemplo negativo são os prédios dos órgãos públicos que não são acessíveis. Existem escadas, mas não rampas, faltam elevadores ou plataformas elevatórias, falta sinalização e são pouquíssimos os atendentes que sabem a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). Vale ressaltar também que muitos prédios são antigos, tombados pelo patrimônio.

O sistema de transporte público (que no nosso caso se restringe aos ônibus e as embarcações na Lagoa da Conceição), apesar deste ano ter sido anunciado alguns veículos adaptados, estas deveriam ser na totalidade. Também as paradas e terminais deveriam oferecer acessibilidade.

Nos atrativos culturais da cidade também acontecem o mesmo problema devido à idade das edificações. Entra novamente a lei (decreto 5.296/2004) que dispõe, entre várias situações, sobre a acessibilidade em espaços públicos e de uso coletivo: têm de ser adaptados ou acessíveis.

Em caso de reformas como a da Catedral Metropolitana realizada após 2004, os projetos devem prever a acessibilidade.

Agora veja alguns bons exemplos citados: o prédio da Assembléia Legislativa de Santa Catarina e uma das torres do Tribunal de Justiça, que passaram por reformas em 2007.

Os shoppings da capital, apesar de ainda não cumprirem integralmente (estes assinaram termos de ajustamento de conduta para se adequarem num prazo de 18 meses junto ao MPSC), são bons exemplos: amplos espaços nas lojas, nos corredores, nos banheiros, vagas para idosos e deficientes nos estacionamentos.

Alguns hotéis já adaptaram uma parte das unidades habitacionais para atender a legislação, entre estes o hotel oficial do evento o Mercure Florianópolis Convention que, inclusive, deverá hospedar os palestrantes, dentre os quais três são usuários de cadeira de rodas.

Alguns bancos também já estão se adaptando. Na agência do Banco do Brasil, atrás do HU, na Trindade, é possível notar a rampa de acesso entre o estacionamento e a entrada; há piso podotátil e mapa tátil disponível para os cegos e deficientes visuais.

Confira a programação do I Seminário Catarinense de Turismo Acessível

1º dia: 13/09/2010 (segunda-feira)

– 8h – Credenciamento

– 8h30 – Abertura oficial do evento. Cerimônia com a participação de autoridades do poder público e da iniciativa privada.

-9h30 – Palestra de abertura: Políticas para a Implantação do Turismo Acessível. Palestrante: Edison Passafaro.

10h45 – Coffee-break

11h – Palestra: O Turismo e as normas ABNT: NBR 9050:2004 e NBR 15599:2008. Palestrante: Eduardo Hitaka.

12h15 – Almoço

14h – Palestra: Acessibilidade na cidade de Socorro, SP – destino referência e dos hotéis Campo dos Sonhos e Parque dos Sonhos. Palestrante: José Fernandes Franco

15h15 – Mesa-redonda: Os rumos do Turismo Acessível em Santa Catarina (ABIH, ABRASEL, FC&VB, ABETA, SETUR e SOL)

16h30 – Coffee-break

16h45 – Palestra: Turismo de Aventura Especial: como atender a pessoa com deficiência. Palestrante: Dadá Moreira.

18h – Encerramento das atividades do dia.

2º dia: 14/09/2010 (terça-feira)

08h30 – Palestra: Socorro, turismo para todos. Palestrante: Michael Golo.

09h45 – Palestra: Panorama do mercado de turismo acessível na visão de um turismólogo com deficiência. Palestrante: Ricardo Shimosakai.

10h45 – Coffee-break

11h – Apresentação do documento “Floripa para Todos”: Uma viagem de inclusão em Florianópolis.

14h – Workshop 1 : Conhecendo as necessidades dos surdos em busca da melhoria do atendimento no turismo.

15h30 – Coffee-break

15h45 às 18h – Seminário Acadêmico de Turismo Acessível. Apresentação de artigos científicos.

18h – Encerramento do evento

Sobre os palestrantes:

· Dadá Moreira – Jornalista e Fotógrafo. Autor do livro “Turismo de Aventura Especial – Como atender a pessoa com deficiência”, que conta como a superação de limites em contato com a natureza tornou-se o principal meio de reintegração social e reabilitação na luta contra sua deficiência e como “Aventura Especial”, mais que o nome da ONG que criou, passou a denominar um novo segmento turístico, hoje tido pelas políticas co Ministério do Turismo como prioritário para desenvolvimento e promoção nacional e internacional. Depois das primeiras experiências, ao procurar serviços especializados e constatar que não havia nenhum tipo de referências sobre adaptações em atividades de aventura e ecoturismo, criou a ONG Aventura Especial, uma iniciativa para sensibilizar a indústria do turismo para a questão da acessibilidade e estudar formas de adaptar as modalidades para pessoas com diversas deficiências. Em 2005 o Ministério do Turismo, reconhecendo as necessidades de profissionalização e desenvolvimento do setor, apoiou o “Projeto Aventureiro Especiais”, realizado pela ONG Aventura Especial.

· Edison Passafaro – Formado em Administração de Empresas, Desenho Arquitetônico e Edificações. É consultor em Mobilidade Urbana, Tecnologia Assistiva e Inclusão Social de Pessoas com Deficiência ou Mobilidade Reduzida, com mais de vinte anos de experiência nas áreas de gestão, educação e terceiro setor. Realiza palestras, workshops e consultoria para órgãos públicos, empresas e diversos setores da sociedade em todo território nacional. Também é instrutor de Acessibilidade da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, consultor da Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo do Estado de São Paulo, SENAC, Brazilian Adventure Society – BAS; presidente do departamento de Inclusão Social do Estado de S. P/ PTB; membro da ANTP e Comissão Permanente de Acessibilidade da Prefeitura de São Paulo – CPA/SP e colaborador da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB/SP. Dentre as experiências anteriores estão à autoria do conteúdo do curso de Acessibilidade em Espaços Turísticos, SENAC/SP, e do Caderno Técnico de Políticas Municipais de Acessibilidade, Ministério das Cidades; consultorias para a Secretaria de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, ABIH/SP e do projeto de acessibilidade para a reforma das calçadas da Av. Paulista, entre outros.

· Michael Golo – Bacharel em Turismo e Chefe da Divisão de Turismo da Prefeitura Municipal da Estância de Socorro – SP. Atuação nos projetos voltados a acessibilidade e aventura. Participação em seminários sobre a multiplicação de projetos do município de Socorro – SP, como Destino Referência em Turismo Acessível, no segmento Turismo de Aventura Especial.

· Ricardo Shimosakai – Bacharel em Turismo pela Universidade Anhembi Morumbi/ Laureate International Universities, Diretor da Turismo Adaptado, Coordenador da Freeway Acessível e colunista dos portais digitais EcoViagem, Diário do Turismo e Inclusive. Membro do Centro de Vida Independente Araci Nallin, Brazilian Adventure Society, Rede Interamericana de Turismo Acessível, SATH (Society for Accessible Travel & Hospitality) e da ENAT (European Network for Accessible Tourism).

· Eduardo Hitaka | Pós-graduando em Gestão de Empresas, especialização, pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL. Graduado em Turismo pela Associação de Ensino de Santa Catarina – ASSESC – (2009). Atualmente é sócio-diretor da empresa Girus Soluções em Turismo, atuando em pesquisas e estudos de mercado, tendências, análise territorial, planejamento turístico – sinalização turística, desenvolvimento de projetos turísticos, captação de recursos e interpretação da Norma de Acessibilidade ABNT NBR 9050:2004 e outras normas de acessibilidade, como a NBR 15599:2008 – Comunicação na prestação de serviços. Experiência na implementação das normas da série ISO-9000, ISO-14000 e Programa 5S de Qualidade no Japão, onde atuou como intérprete e tradutor em empresas da área de TI na condição de líder brasileiro de linhas de produção (1997-2000) e ajuste fino de equipamentos de telecomunicações – fusão de fibra ótica (2003-2005).

spot_img