23.8 C
fpolis
segunda-feira, outubro 25, 2021
cinesytem

Técnicos da Defesa Civil catarinense fazem curso de gestão de riscos no Japão

spot_img

Técnicos da Defesa Civil catarinense fazem curso de gestão de riscos no Japão

spot_img

Técnicos da Defesa Civil catarinense participaram, entre os dias 10 de novembro e 13 de dezembro, do segundo Treinamento em Gestão Integrada de Riscos, no Japão. Participam desta etapa dois técnicos da Defesa Civil de Santa Catarina: o Diretor de Prevenção, Fabiano de Souza e o Gerente de Monitoramento e Alerta, Frederico Rudorff.

Também embarcaram em busca de mais conhecimento, Rafael Wruck, representante do AlertaBlu e Roger Schreiber da Secretaria de Planejamento de Blumenau.

Segundo Fabiano de Souza, o treinamento será uma oportunidade para o Estado aprender com as experiências japonesas no monitoramento e no alerta de deslizamentos, especialmente no estabelecimento de índices de deflagração de alertas. Além disso, a formação envolve técnicas de mapeamento de risco e mecanismos de planejamento territorial.

O Secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, afirma que esse momento é de buscar conhecimento com o país que mais investe em monitoramento e emissão de alertas para proteger a população.

A SDC participou de forma ativa das cinco reuniões técnicas realizadas no Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN), sobre Previsão e Alerta de Sedimentos. O projeto, que tem duração de quatro anos, realizou em 2014, a fase de levantamento e investigação, por meio de treinamentos, cursos, seminários, workshops e visita a campo. O resultado foi a troca de experiências entre Brasil e Japão. Como produto deste ano de cooperação está sendo elaborado um relatório com os dados coletados.

A Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) criaram em agosto de 2013 o Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada em Riscos de Desastres Naturais (GIDES), que tem como objetivo formular estratégias de avaliação de riscos, planejamento de expansão urbana e prevenção, recuperação e reconstrução de áreas de risco no Brasil.

Participam do projeto, a equipe da JICA, instituições dos governos federal, estaduais e municipais. Nos governos municipais foram selecionados três municípios. Um é catarinense Blumenau (SC), além de Friburgo e Teresópolis (RJ). Em Santa Catarina, contribuem para o projeto a SDC e a Secretaria de Estado do Planejamento (SPG). Acompanham os trabalhos, os Ministérios das Cidades, e da Ciência e Tecnologia, através do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD), da Integração Nacional, através Cemaden, Minas e Energia, através do Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

O Projeto atua em três grandes eixos: monitoramento e alerta, mapeamento de riscos e planejamento da expansão urbana, todos considerando apenas os riscos de desastres de sedimentos (movimento de massa).

spot_img
spot_img