15.1 C
fpolis
sexta-feira, setembro 17, 2021
cinesytem

Onda de ataques em Santa Catarina afeta as vendas no comércio e aumenta os custos do setor

spot_img

Onda de ataques em Santa Catarina afeta as vendas no comércio e aumenta os custos do setor

Queda no faturamento, mudança na rotina de trabalho e insegurança são os principais problemas trazidos para o comércio pela mais nova onda de atentados criminosos em Santa Catarina. A avaliação é da Fecomércio SC, entida que, na última onda de atentados – fevereiro de 2013 – já havia mostrado estas questões, sendo que em Florianópolis, por exemplo, 81% das empresas do comércio disseram ter adotado alternativas para enfrentar a insegurança, como reduzir horário de atendimento, oferecer transporte aos funcionários e mudança nos turnos de trabalho.

De acordo com o diretor-executivo da Fecomércio SC, Marcos Arzua, diversos fatores potencializam o dano que as empresas estão tendo com essa onda de violência. "As empresas estão sendo fortemente afetadas, porque elas precisam fazer uma adequação dos seus turnos de trabalho, e isso importa num aumento de custos. Há também uma diminuição no movimento dos estabelecimentos comerciais que, pelas sondagens que a Fecomércio tem feito, já está em índices muito próximos às ações de violência anteriores. O mais grave é que estamos vivendo esse ambiente de insegurança e essa retração em um ano em que nós tivemos um comportamento não muito favorável de vendas no comércio e em um período que antecede uma data importante para o setor, que é o Dia das Crianças. Além disso, caso essa onda de violência se mantenha, há o temor de que essa situação possa afetar o interesse dos turistas e dos visitantes em relação às festas de outubro em Santa Catarina, com o cancelamento de viagens e de hospedagens. Esse ambiente de insegurança faz com que o consumidor e o turista fiquem retraídos", disse.

Segundo Arzua, a classe empresarial tem adotado todas as medidas de orientação para manter a regularidade de atendimento dos estabelecimentos comerciais, como contratar transporte exclusivo e adequar horários para que o trabalhador possa chegar em casa com segurança. As ações visam garantir, ainda, que o consumidor possa ter acesso aos produtos que procura sem dificuldade. Empenhada em colaborar para que a sociedade catarinense possa voltar à normalidade, a Fecomércio SC espera e confia que o Estado cumpra com seu papel de garantir a segurança para que consumidores, empresários e trabalhadores possam retomar suas rotinas.

spot_img
spot_img

Leia mais