16.3 C
fpolis
segunda-feira, outubro 18, 2021
cinesytem

Dicas de Gastronomia para o fim de semana em Florianópolis – Segunda edição

spot_img

Dicas de Gastronomia para o fim de semana em Florianópolis – Segunda edição

spot_img

Abrimos a coluna de dicas desta semana com um evento com acesso gratuito. 

Começou nesta quinta-feira, 26, e vai até sábado, 28, entre 16h e meia-noite, o Vinho na Vila, em Jurerê Internacional.

Haverá degustações de 200 rótulos de vinhos e espumantes brasileiros, gastronomia e música, além de palestras com especialistas.

A entrada é gratuita, mas para a degustação é preciso adquirir ingresso (pelo site Ingresso Rápido ou na bilheteria nos dias do evento). 

O local é a área externa da Arqflora (antigo Imperatriz) e receberá cerca de 20 estandes.

Depois, o evento itinerante segue para Trancoso, Maceió e Paraty.

Coxinha para todos os gostos

Foto: Facebook/Maria Coxinha

Sucesso em 2016, o Maria Coxinha ​começou em São José e ​já abriu filial na via gastronômica mais festejada da cidade, a de Coqueiros.

É a única coxinharia de Santa Catarina e oferece 16 sabores. É possível degustar 16 sabores diferentes de coxinha. A mais conhecida, de frango, leva mais tempero e sabor. Os sabores custam, em média, R$ 5.

As opções mais pedidas: coxinha de siri, camarão e linguiça Blumenau (feita com massa de abóbora), aipim com carne seca; feijão com carne seca e couve. Também tem as opções sem glúten e lactose e veganas, que são de feijão com couve, com legumes ou inhame com legumes. As vegetarianas: abobrinha, ricota e mussarela.

Para as versões doces, fazem versão de coxinha do churros, que tanto faz sucesso na região.  E olha os sabores: doce de leite ou nutella. Tem também as de brigadeiro com morango ou com paçoca ou leite ninho com doce de leite.
https://www.facebook.com/mariacoxinhabar/​

Opção ao peixe frito: polvo

Você adora frutos do mar e quer variar? A dica é o polvo, que até alguns anos atrás o polvo era relegado ao segundo plano nos cardápios dos restaurantes da cidade. Com a popularização da comida japonesa a partir de 2003, o polvo – abundante em nosso litoral – foi, aos poucos, caindo nas graças dos clientes.

Atualmente, o polvo, preparado de diversas formas, já representa  uma gorda fatia dos pedidos no Bate Ponto, em Santo Antônio de Lisboa, o molusco é servido na versão de entrada, à provençal, com pimentão e vinagrete) e o principal (polvo crocante com batatas ao murro). 

Pratos para um pessoa variam de R$ 23 (Temaki) à R$ 79 (almoço).

O polvo também serviu de alternativa para a crise do salmão que assolou os sushis da região, como no Jun, em Coqueiros, que inovou aumentando as opções de polvo nos menus, da casa e do delivery.​

PARA VER AS DICAS DA PRIMEIRA EDIÇÃO DA COLUNA DE GASTRONOMIA DO DEOLHONAILHA CLIQUE AQUI.

spot_img
spot_img