15.6 C
fpolis
quarta-feira, setembro 22, 2021
cinesytem

Exportações registram queda de 11,8% em SC no primeiro bimestre do ano

spot_img

Exportações registram queda de 11,8% em SC no primeiro bimestre do ano

spot_img

As exportações catarinenses acumulam redução de 11,8% nos dois primeiros meses de 2015, para US$ 1,09 bilhão. Os dados são do levantamento Balança Comercial de SC, divulgado pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) nesta terça-feira, 10.

De acordo com o levantamento, o desempenho é resultado, principalmente, da queda nas vendas dos três principais produtos exportados pelo Estado no começo de 2014. O líder frango teve embarques 12,6% menores, enquanto os motores e geradores elétricos caíram 25,2%, passando da segunda para a quarta posição, e os motocompressores sofreram tombo de 36,9%, recuando da terceira para a sexta colocação na pauta de exportações. A redução nas vendas de frango se deve, principalmente, à diminuição nas encomendas de Japão, Holanda e Reino Unido. Os motores e geradores elétricos tiveram recuo nos embarques por conta da Alemanha. Já os motocompressores acusaram menores pedidos por parte de China e Estados Unidos.

Entre os principais compradores dos produtos embarcados em Santa Catarina, a China, que em 2014 chegou a liderar a lista por alguns meses, reduziu suas compras em 27,2% e agora ocupa a terceira posição. Ela foi ultrapassada pela Argentina, que reduziu as compras em uma intensidade menor: 14,5%. Os Estados Unidos seguem liderando o ranking, apesar da diminuição de 2,6% em seus pedidos.

As importações que chegam ao Estado tiveram uma redução de 3,1% no bimestre, ficando em US$ 2,63 bilhões. A lista dos principais produtos é liderada pelo polietileno, seguido pelos catodos de cobre e pelos laminados de ferro e aço.

Balança – Neste cenário, a balança comercial de Santa Catarina acumula déficit de US$ 1,54 bilhão no primeiro bimestre, alta de 4,3% sobre o mesmo período de 2014. Já o saldo brasileira está negativo em US$ 6 bilhões, o que representa uma melhora de 2,9% sobre o registrado no começo do ano passado.

spot_img
spot_img

Leia mais