21.9 C
fpolis
quarta-feira, outubro 27, 2021
cinesytem

Justiça condena cinco homens por tráfico de drogas na Grande Florianópolis

spot_img

Justiça condena cinco homens por tráfico de drogas na Grande Florianópolis

spot_img

A Justiça condenou cinco pessoas pelo crime de associação para o tráfico de drogas, especialmente pela comercialização ilícita de cocaína para traficantes da região da Grande Florianópolis. Além de multas para os cinco condenados, as penas variam de 10 a três anos de prisão. Em três casos, as penas serão cumpridas em regime fechado e, em dois, em regime semiaberto. A sentença atende denúncia ajuizada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e foi proferida pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Palhoça. As informações são da Assessoria de Imprensa da MPSC.

As investigações comprovaram que os condenados faziam parte de uma organização criminosa, cuja finalidade era, principalmente, o tráfico na região da Grande Florianópolis, inclusive com o fornecimento de entorpecentes para outros traficantes. De acordo com a sentença, cada participante possuía funções específicas no esquema. Os policiais concluíram que o corretor de imóveis era o líder e os demais foram aliciados por ele para servirem de comunicadores e distribuidores da mercadoria.

De acordo com as provas, a técnica de enfermagem, companheira do líder do grupo, intermediava os contatos telefônicos entre os demais do grupo e administrava o dinheiro arrecadado com o tráfico por meio de movimentação bancária em uma conta corrente em nome de sua mãe, uma servidora pública estadual aposentada e deficiente visual.

Iniciadas no ano passado, as investigações revelaram que as práticas de crime de tráfico de drogas e de organização criminosa vinham sendo efetuadas há muito tempo e movimentaram um grande volume de drogas. Toda a investigação resultou na prisão, em flagrante, do líder do grupo, em cuja posse foram encontrados 20,9 quilos de cocaína.
Dois dos condenados – o líder e um dos membros da quadrilha – não poderão recorrer em liberdade. Já os demais tiveram esse privilégio.

spot_img
spot_img

Leia mais