18.6 C
fpolis
quinta-feira, setembro 23, 2021
cinesytem

Mutirão de Recuperação de Crédito vai reunir Casan, Celesc e bancos

spot_img

Mutirão de Recuperação de Crédito vai reunir Casan, Celesc e bancos

spot_img

Pessoas físicas e jurídicas da Grande Florianópolis em dívida com a Casan, Celesc, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Santander e Bradesco terão a partir da próxima segunda-feira, 16, oportunidade de 'limpar' seus nomes antes do Natal. É que, no 1º Mutirão de Recuperação de Crédito a ser realizado pela Secretaria de Defesa do Consumidor de Florianópolis, as empresas de economia mista e os bancos públicos e privados vão oferecer uma série de benefícios para que as contas sejam colocadas em dia. Quem procurar fazer acordo terá vantagens, de acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura da Capital. 

O mutirão vai acontecer no período de 16 a 20 de novembro, das 9 às 17 hs, em frente à Catedral, no centro da Capital. Para receber atendimento, que vai respeitar a ordem de chegada, os interessados precisarão apresentar-se pessoalmente e munidos de carteira de identidade, CPF e comprovantes de renda e de residência. Embora a iniciativa de realização do evento tenha sido de órgão da Prefeitura de Florianópolis, serão atendidos consumidores, empresas e grupos econômicos – pessoas físicas e jurídicas – de toda a região da Grande Florianópolis.

Casan

Os clientes inadimplentes da Casan terão a mesma chance de negociação, independente de terem ou não entrado com ação na Justiça. Aos que se encontram em dívida de 1º de janeiro de 2005 a 30 de novembro de 2014, a empresa vai oferecer isenção de 100% dos juros e multas para parcelamentos em até 24 meses, e isenção de 80% dos juros e multas para parcelamentos de 25 a 36 meses. Em ambas as situações, não será excluída a atualização monetária.

 Isto implica em dizer que, quem estiver inadimplente de 1º de dezembro de 2014 até o momento, ou seja, há menos de um ano, não terá direito aos benefícios. Para esta situação, vai continuar valendo o parcelamento normal de até 36 meses, com incidência de juro de 1% e multa de 2%, mais a correção monetária, aplicado fora do mutirão.

Em Florianópolis, 9.520 usuários da Casan, de um total de 98.946, devem o montante de R$ 26.052.652,22, o que representa 14,6 % de quanto a empresa teria a receber. Já na Grande Florianópolis, são 15.620 usuários, de um total de 194.933, com dívidas que somam R$ 37.645.457,40, o que equivale a 21% do valor que a Casan deveria receber, na região.

Celesc

Já a Celesc vai atender somente os casos de inadimplência não ajuizados para fins de conciliação no 1º Mutirão de Recuperação de Crédito. Para os clientes em débito que não recorreram ao Judiciário, vai reduzir de 33% para 10% o percentual de quitação das dívidas no ato do parcelamento que, no mutirão, aliás, também poderá ser feito em até 12 vezes. Fora dali, é permitido pagar o montante em, no máximo, seis parcelas. Ainda durante o evento, a Celesc vai conceder isenção da multa de 2% cobrada habitualmente.

Em Florianópolis, a Celesc tem a receber dos clientes devedores 1,74% da arrecadação da empresa que, em valores, corresponde a um total de R$ 8.037.252,00. Na Grande Florianópolis, este índice sobe para cerca de 17%.

A Celesc vai participar do mutirão com uma unidade móvel de atendimento.

Supervisão

 Durante a realização do 1º Mutirão de Recuperação de Crédito, a Secretaria de Defesa do Consumidor de Florianópolis ficará na supervisão das conciliações. Neste sentido, contará com apoio da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF). Já a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Florianópolis vai estar à disposição do público para consultas gratuitas de verificação dos clientes das empresas associadas que se encontram no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Segundo a CDL, 80% das pessoas registradas no SPC, na Capital, têm débitos com bancos ou financeiras. E, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência dos Consumidores Catarinenses (PEIC-SC), da Fecomércio/SC, realizada no mês de outubro e divulgada no dia 9 de novembro, 86,5% das famílias de Florianópolis estão endividadas, em 68,5% dos casos, por causa do mau uso do cartão de crédito. Tal situação faz com que Florianópolis seja a cidade com o pior índice de famílias endividadas do Estado – dentre os municípios que foram alvo do levantamento feito, ainda, em Joinville, Blumenau, Chapecó e Itajaí.

Das famílias da Capital que sofrem com o problema financeiro, 22% têm dívidas ou contas em atraso. Apenas 7,6%, porém, não terão condições de pagar o que devem.

Expediente normal

A realização do 1º Mutirão de Recuperação de Crédito não altera o funcionamento do Procon de Florianópolis, vinculado à Secretaria de Defesa do Consumidor. O órgão vai atender normalmente, de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas, à rua Tenente Silveira, 299, edifício Reflex, Centro.

spot_img
spot_img

Leia mais