18.9 C
fpolis
segunda-feira, junho 17, 2024
Cinesystem

Programa “TOPAS” consegue reduzir pela metade distorção idade-série na Capital

spot_img

Programa “TOPAS” consegue reduzir pela metade distorção idade-série na Capital

spot_imgspot_img

A Secretaria Municipal de Educação conseguiu reduzir em mais da metade o índice de distorção de idade-série na rede de ensino. Conforme dados da Diretoria do Observatório da Educação, a situação deste ano passou de 13.9 %, registrados em 2008, para 6.5% . A queda nos índices deve-se à implantação do programa Todos Podem Aprender Sempre, TOPAS, criado com o objetivo de atacar esse problema. A queda na distorção idade-série já vem sendo percebida desde 2006 quando o índice era de 17,5%, sendo que a cifra caiu em 2007 para 15,3%.

O Topas reúne alunos na faixa-etária de 13 a 17 anos que estão matriculados e frequentando regularmente de quarta a sétima séries do ensino fundamental da rede municipal. Eles têm como característica o fato de terem no mínimo duas repetências na sua trajetória escolar.

Para que consigam terminar o ensino fundamental e avancem rumo ao ensino médio, os alunos passam a ter aulas em tempo integral. Eles entram na unidade pela manhã e ficam até o final de tarde, com direito a café da manhã, almoço e lanches.

Geralmente, as aulas formais acontecem num dos períodos e no contra-turno, são oferecidos aos estudantes apoio pedagógico e oficinas de teatro, artes visuais, música, dança, capoeira, esportes e cinema, dentre outras opções. É comum também as saídas a campo como forma de transpor os muros escolares. Espaços como bibliotecas, laboratórios de informática, laboratórios de ciências, salas de artes, dentre outros ambientes, são tradicionalmente utilizados como forma de enriquecer as experiências curriculares.

Para atender essas crianças e adolescentes há um professor pedagogo que é o responsável em acompanhar todas as atividades dos alunos, principalmente em relação à Língua Portuguesa e Matemática. Além disso, existe o apoio de profissionais das outras áreas de conhecimento.

De acordo com um dos coordenadores do Topas, Sônia Carvalho, o programa parte da idéia que todos são capazes de aprender. “Na prática estamos revertendo a situação do fracasso escolar, possibilitando às crianças e adolescentes com distorção idade-série a apropriação do conhecimento e a retomada do sucesso na sua trajetória escolar, através do redimensionamento do sistema educativo”, destaca Vânio Seemann, outro coordenador.

Desde a sua criação, o Topas já atendeu 438 crianças e adolescentes. Atualmente está presente em seis escolas básicas: Mâncio Costa (Ratones), Intendente Aricomedes da Silva (Cachoeira do Bom Jesus), Osmar Cunha (Canasvieiras), Gentil Mathias da Silva (Ingleses), Beatriz de Souza Brito (Pantanal) e Brigadeiro Eduardo Gomes (Campeche).

spot_img
spot_img
spot_img

Leia mais

spot_img